sexta-feira, 10 de agosto de 2012

aos imortais

AGNELADAS

por Esmeraldo Siqueira,  em Fauna Contemporânea (1968)

Ia nascer dromedário,
Mas a parteira Maroca
Teve um susto extraordinário,
Quando viu que era uma foca.

Das verdades que revelo,
De fácil comprovação,
A mais gozada é Agnelo
Querendo bancar Dom João.

Feio por dentro e por fora
Eis Agnelo... E Eis por que
A própria mãe geme e chora
De desgosto, quando o vê.

Quer ser prefeito, o magano.
E o será, pois tem tineta.
Basta ser irmão germano
Do grande Lulu Capeta.

Há quem atribua à sina,
Chame predestinação
Viver de infâmia e rapina,
Ser político e ladrão.

Um medonho puxa-saco
Gabou-lhe o sorriso fanhoso.
Outro, o porte de macaco
Achou-lhe bonito e airoso.

Nenhum comentário: